No calor de Bangkok

Todo mundo diz que Bangkok é tipo assim, ou você ama ou odeia. O trânsito, o calor e a movimentação girando em torno das milhares oportunidades de compras podem te enlouquecer,  no bom ou mau sentido.

Este post vai especial para você que quer aproveitar o máximo de Bangkok ou pelo menos ter uma experiência melhor que a minha por lá.

Decidimos não comprar passeios com agencias de turismo em Bangkok pois achamos que estava bem mais caro do que tudo que já tínhamos feito na Tailândia,  pois já estamos a aproximadamente 15 dias no pais, então acabamos nos virando por conta e ficando pela cidade mesmo. (Veja aqui como economizamos para viajar mais!)

Só lamentei não ter feito o Mercado flutuante, apesar de que li tanta coisa sobre “falsos mercados” (vendidos como passeios, mas quando chega no local é apenas uma senhorinha vendendo nada), que desanimei.

O que vale a pena

  • Os templos (Chamados de Wats) são lindos, mas a maioria paga para ver as partes principais e você precisa estar com roupas apropriadas (Cobrindo ombros e joelhos. Para mulheres tem que ser saia longa). Segue uma foto de como eu fui. Estava um calor de uns 47 graus (sem exagero), minha pressão baixou e quase não aproveitei, isso que fui com esse vestido que é bem leve e só coloquei o lenço para cobrir os ombros – SUPER DICA – Se prepare!

tai

O que eu mais gostei foi o templo Esmeralda

  • Weekend Market – Maior Mercado do mundo, realmente!!! Aqui seria o lugar para comprar os presentes da viagem. Além de roupas bem baratas tipo camisetas super legais por 50 cents de dolar, vestidinhos por 3 dolares,  o mercado é também o lugar para quem quer experimentar iguarias como grilo frito, espetinho de gafanhoto etc.

  • Shop Shop until drop – Não sou uma consumista assumida, mas confesso que depois de um ano na Austrália com os preços em dobro comparado ao real, Bangkok foi um alivio. Roupas, maquiagem, bugigangas! Amei os shoppings da região de SIAM SQUARE. Nunca fui muito de shopping center mas no caso de Bangkok é uma questão de utilidade pública. Ar condicionado, comida e descanso seguro, tudo no mesmo lugar. Depois de ficar 40 minutos procurando a saída do Weekend market, isso era o que eu mais queria…Olha minha cara de desespero nesse video. 

  • Massagem – Depois de andar tanto,  nada melhor do que massagem.  Gostei mais das de Bangkok do que as que fazemos na praia.  Achei o clima mais tranquilo, a recepção já é com água quente nos pés e o clima bem mais relaxante pois não tem aquele monte de turistas junto. Na verdade no que fomos éramos somente nós dois. Eu estava de vestido, então me deram tipo uma calça para ficar mais confortável. Relaxei tanto que consegui até sonhar! E foi bem mais barato…Em média na Thailandia se faz uma massagem de 1 hora por 200 Baht equivalente a quase 6 dólares.

Massagem Bangkok Relax total

  • O que eu mais gostei foi o Central World. Passamos o Réveillon lá com um show super bacana. Na verdade foi a melhor parte de Bangkok, sem dúvida. Pagamos algo do tipo AU$ 15 por pessoa para um tipo de camarote VIP em frente ao shopping, onde aconteceriam os shows da virada, os fogos e até o Rei fez discurso. Além de show ao vivo de uma banda que parecia tão famosa quanto Ivete no Brasil (não tínhamos ideia do que ela cantava mas nos divertimos), o valor pago era  com consumação e o serviço foi ótimo. Conseguimos até ficar amigo dos garçons e comemoramos a virada com eles 🙂

viradataigirls

LadyBoys?

cowtdown

Onde comer em Bangkok?

The Pizza Company

No litoral eu até me arrisquei comer nas ruas, mas em Bangkok não. Fomos duas vezes nesse Fast Food Tailandês em duas regiões diferentes, ou seja, você vai encontrar fácil nas praças de alimentação por lá. Tem pizza, massa e frango. Além de refrigerante na jarra. Adorei!

Aqui alguns links de alguns experts sobre Tailandia. O meu favorito é o Preciso Viajar da Fernanda.  Além de ser uma especialista, ela sempre respondia minhas dúvidas muito rápido, tipo consultoria particular 🙂

Também gosto do  Viagem para Mulheres da Flávia. Acho que vale a pena também os posts sobre Cambodia, caso pensem em ir para lá.

Onde se Hospedar?

Ficamos no Seasons Siam Bangkok que no dia que chegamos estava deixando de fazer parte da rede. Gosto muito da rede Accor, geralmente são bem localizados e práticos. Acho que realmente o hotel estava abaixo das expectativas para fazer parte do portfolio Accor.

Além de um atendimento muito abaixo da media,  estava lotado, só tocava uma mesma música Indiana (?) incansavelmente no lobby durante o dia. A localização era ok.

Mesmo pra mim que nasci na fronteira do Brasil com Paraguai e cresci vendo algo muito parecido com a muvuca de  Bangkok, passar  3 dias lá já foi mais que suficiente.

O que me cansou mais? Além do que já citei, a insistência e exploração descarada dos motoristas de Tuk-Tuk. Um golpe muito comum é eles cobrarem muito barato para te levar pra algum lugar mais longe, como por exemplo 80 Baht (Moeda local), para rodar a cidade. No meio do caminho eles começam a choramingar pedindo que você vá a um tipo de atelier de ternos pois se você for e ficar lá pelo menos 10 minutos o dono da loja dá para ele 5 litros de combustível. No inicio você até se comove e quer ajudar, o problema é que depois da loja de ternos tem a joalharia, a agencia de turismo etc. E no final você descobre que acabou não indo nos lugares que você queria ir, andou embaixo daquele calor e não fez nada.  Quando eu lia sobre isso achava que era algo esporádico, mas não, acontece com todo mundo e VAI ACONTECER COM VOCÊ.

Você só precisa ser bem firme e dizer desde o inicio que não esta interessado.

Todos os motoristas, sem exceção, vinham com a mesma conversa. Alguns deles tem pessoas na porta dos templos, dizendo que esta lotado, ou que é melhor voltar mais tarde e oferecendo esse tipo de “serviço”. Adoro ajudar as pessoas, mas odeio me sentir ser passada para trás. E é assim que você se sente lá toda vez que tem que negociar um transporte privado. O que fizemos é pegar um ônibus. Talvez não seja tão seguro, mas pelo menos pagamos algumas moedinhas e nos divertimos.

Caso precise mesmo de um taxi, tente algo na recepção do hotel. Demora um pouco mas foi o mais justo que conseguimos.  E tente ficar com ele durante todo o dia.  São os poucos também que falam inglês, então muito importante: Carregue o nome do hotel, endereço e locais que quer visitar todos escritos em tailandês. Muitos taxistas não entendiam inglês e tínhamos que mostrar na língua deles.

Algo tipo isso:      ประเทศไทยเช่น

***

Dicas Extras:

Minha amiga Roberta já foi várias vezes pra Tailândia e me passou as seguintes dicas antes que eu embarcasse. Achei muito útil então pedi a autorização dela pra passar aqui, já que não deu tempo de fazer tudo por mim mesma:

MBK Shopping – Com lojas para comprar prata, por exemplo.

Dica de Hotel Novotel Siam Square (Pathumwan Rd.  – Principal). Passei em frente ao Hotel e achei a localização perfeita. Com certeza ficaria lá da próxima vez.

Passeios: Tiger temple e Float Market são longes. Leva um dia inteiro para fazer cada um, então se programe!

***

Minha observação – Eu não quis fazer Tiger Temple pois tinha ido a 6 meses atrás para África e feito safari, então não achei interessante em ver animais presos. Também já ouvi que eles são mansos porque são dopados. Então, não gostei da idéia…

Para os voos utilizamos JetStar e AirAsia. Gostei muito, principalmente da AirAsia. Achei os preços dos voos e serviços justos. Nada demais em relação a conformo, na no mínimo isso – preço justo e praticidade principalmente para quem vai voar bastante dentro da Tailândia. O legal também é que sem pagar nada mais na passagem conseguimos fazer um stopover na Malásia conforme descrevemos aqui. 

Para finalizar, me desculpem as pessoas que tiveram uma melhor imagem de Bangkok e se estou generalizando, mas realmente a única vantagem que vi é que TUDO é bem mais barato do que nas praias, como massagens e souvenir por exemplo. Tudo bem que cheguei em Bangkok já cansada após uma viagem longa de quase 20 dias e depois te ter passado por 3 países, o que mais queria era ir para casa,  mas no geral, só voltaria para lá se realmente tivesse parada obrigatória devido aos roteiros, no mais iria direto para as praias onde achei as pessoas bem mais honestas e hospitaleiras.

****

E não esqueçam: Use os links dos parceiros encontrados no blog, ganhamos uma pequena comissão, SEM TAXAS EXTRAS PARA VOCÊS, e assim ajuda a gente a viajar mais pelo mundo, contar para vocês e nosso trabalho a crescer ainda mais.

Anúncios

8 pensamentos sobre “No calor de Bangkok

  1. Pingback: Debaixo dos caracóis dos seus cabelos…Uma viagem pra contar! | Viaje pelo Mundo by Silvia Medina

  2. Pingback: Roteiro para Brasileiros na Austrália | Viaje pelo Mundo by Silvia Medina

  3. Pingback: Vai pra Tailândia? | Viaje pelo Mundo by Silvia Medina

  4. Pingback: Kuala Lumpur – Stopover na Malasia | Viaje pelo Mundo by Silvia Medina

  5. Pingback: Viaje Leve | Viaje pelo Mundo by Silvia Medina

  6. Pingback: Desafio de blogueiros Wanderlust | Viaje pelo Mundo by Silvia Medina

O que você acha?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s